segunda-feira, 6 de março de 2017

Acabou o sossego!

Caros amigos, seguidores e leitores, passado o Carnaval, volta o mimimi às redes sociais. Os que num passado recente achavam bom, agora acham ruim e vice-versa.

Sinceramente, olhando o passado mais que recente, ou seja, voltando um ano atrás, creio (e só creio, posso estar errado) que o Carnaval do ano passado foi melhor que o desse ano. Falo isso pelo movimento visto e sentido durante o dia na cidade. Sobre as noites não posso falar muito, mas parece-me que as atrações do ano de 2016 foram melhores que as de 2017, ou não? Lexa, Sandra Portela, Dj Neblina (credo!) e Bom bocado contra Flavinho (???), Banda Arquivo X e Banda Salamandra (por sinal a mesma que já havia tocado aqui em 2013). Mas isso é só uma provocação aos que há menos de um ano descarregavam críticas e hoje são todos amores, porque afinal agora: “o que importa é Bicas”, “temos que acreditar na cidade”, “#carnavalBicas”, etc, etc, etc....

Voltando ao título do texto, “Acabou o sossego”, é porque durante os cinco dias de Carnaval, o sossego na parte alta da cidade foi impressionante, algo que eu nunca havia experimentado antes. Não fosse a interrupção do silêncio, provocada pela breve passagem de alguns pequenos blocos (três ao todo), diria que parecia não ser Carnaval.

O sossego estava tão grande naqueles dias que sequer brigas, freadas bruscas ou aqueles carros de som escandalosos ouvimos durante a madrugada. Já durante a madrugada do último sábado, dia 4 de março, foram duas confusões com xingamentos e ameaças entre pessoas visivelmente transtornadas, duas frenagens fortíssimas por causa da passarela de pedestres, um atropelamento (da mesma passarela, rsrs), quatro carros de som de tremer as janelas e até o Renato Pão com Ovo gritando seus impropérios pela rua afora. Acabou o sossego!

Pelo que ouvi o sucesso ficou por conta dos mesmos blocos, o da Cana e o “daquilo”. Ainda assim, a falta de sensibilidade de alguns provocou um tremendo mal estar na concentração do Bloco da Cana. Neste episódio triste (e tendo ouvido somente uma versão dos fatos, quero deixar claro), me parece que os maiores responsáveis foram dois dos próprios familiares, que apesar dos apelos “forçaram uma barra” para que o atual Prefeito estivesse presente, afrontando a maioria esmagadora da família fundadora do bloco, que solicitou antecipadamente que isso fosse evitado para que não houvesse constrangimentos. Já a presença do Prefeito em si não me espanta. Por trás da máscara de bom moço que ele insiste em usar, sua intenção era esta mesmo, constranger.

Detalhe triste. O desrespeito mais uma vez às escolas de samba. Uma avenida sem nenhuma estrutura. Sem guarda-corpo, sem enfeites, sem iluminação e som adequados. Uma lástima. De qualquer forma deixo um abraço a todos os que se esforçaram para que elas estivessem presentes, mesmo que juntas num único dia.


Pra fechar agradecer à organização do evento, graças a vocês o Carnaval foi uma tranqüilidade só, do jeitinho que eu gosto. Graças a vocês o sossego foi estrondoso, chegou até a incomodar em alguns momentos. Mas no geral, achei muito bom, mas pena que o que é bom dura pouco.

Um comentário:

  1. Grande Loro, achei o carnaval fraco, tanto o bloco dá cana, quanto o "daquilo" como vc disse, que acredito seja o Urubu rsrsrs, não chegaram nem aos pés na animação de carnavais passados. Sem contar uma quantidade grande carros com som tocando sons diferentes, o que é pior (na minha opinião), tocando funk. Saudades do carnaval com músicas de carnaval.

    ResponderExcluir