quarta-feira, 28 de outubro de 2009

PT para todos...

No próximo dia 14 de novembro estaremos reunidos para lançar o movimento Juventude PT Bicas, a chapa Reconstrução que concorre à Direção Municipal e a candidatura à Presidência do Diretório Municipal da Professora Léa Alves de Castro.

Ressalto que diversas novas filiações estão acontecendo a todo momento e que o PT está se fortalecendo visando a sucessão do Professor Honório. Mais que isso, o movimento da Juventude Petista, puxado pela nova direção que ainda nem foi empossada, mas a única que concorre, visa oxigenar o PT, dar mais dinamismo e aumentar a participação popular no partido.

Nós, dirigentes do PT, não pretendemos ser donos de partido, não é isso que nós nos propusemos a fazer na vida política. Estamos numa fase de transição e esperamos que novas lideranças assumam a direção partidária. Muitas pessoas que nunca estiveram à frente do PT assumirão a partir de 2010 a responsabilidade de comandar os destinos do partido em Bicas. Por exemplo a nova Presidente, Professora Léa Castro, com larga experiência em administração pública e muita capacidade organizativa. Os membros da chapa Reconstrução são os seguintes: Adenilson Flores (Dé da Copasa), Alfredo Flores (o Alfredo do karatê), Almir Lopes, Altair Lopes, Maria Helena Henriques (Lena), Vanderléia Tresse, Maurílio Muniz, Jaílson Costa, Renan Ferreira, Cintia Vieira, Daniela Ghetti, Jussara Moisés, Pedro Moreto, Vitor Andrade, Modesto Coimbra, Leandro Coelho, Thiago Marciano, Carlos Evandro (Dim) e Leonardo Faria.

O PT Bicas, com certeza absoluta, nunca teve tanta qualidade na composição de seu Diretório Municipal. Terei o prazer de fazer parte desta transição por ser vereador do partido e com isso ser membro da Executiva Municipal.

No mesmo dia 14, a chapa Reconstrução declarará apoio à reeleição do Deputado Reginaldo Lopes como Presidente do Diretório Estadual, liberando seus membros para votar nas chapas estadual e nacional e na Presidência Nacional como acharem melhor.

Sei que algumas pessoas vão me perguntar os motivos que levaram o companheiro Amarildo Mayrink a não participar da chapa nem concorrer à Presidência, já que lhe era permitido. Confesso que desconheço os motivos que o levaram a não participar do processo. Só posso dizer que sua experiência poderia ser útil neste momento e que ele foi convidado a compor a chapa Reconstrução e não aceitou, sei também que ele iria apresentar uma chapa para concorrer e não o fez. Ainda assim, na última semana de inscrição das chapas municipais tive uma conversa com ele e propus um acordo para unificar o PT e nem resposta ele me deu. Portanto, tudo o que foi possível para haver um entendimento foi feito, com a concordância dos membros da chapa e da candidata única à Presidência, e não adiantou.

Deixo aqui aberto o convite para você leitor se filiar ao PT de Bicas. Tenho certeza que a próxima gestão e os companheiros que assumem agora o Diretório Municipal vão fazer um belo trabalho e tornar o PT o maior partido da cidade e que vão aprofundar a democracia interna e promever uma renovação de qualidade.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Tsunami continua avançando...

Realmente não esperava tanta polêmica e repercussão por causa do texto do Boletim da Câmara. E olha que ainda nem foram distribuídos direito.

Hoje porém quero me fixar nas manifestações de pessoas, das quais não vou citar os nomes por se tratarem de pessoas muito amigas, que me surpreenderam com posições muito parciais e impositivas.

A primeira me disse o seguinte: "Desse jeito você não vai se eleger mais nada, nem a vereador, nem a prefeito e nem a presidente da Câmara."

Digo o seguinte: Não tenho como norte em minhas ações contrapartidas eleitorais, aliás deixo claro prá todo mundo que sou contra reeleições, acho inclusive que ela trás mais prejuízos que benefícios à democracia. Lógico que não digo que desta água não beberei, porque me considero uma pessoa sensata e que não se preocupa com a próxima eleição e sim com o que é certo e com o que não é; com o que é bom para a comunidade e o que não é. Portanto, se me for dada a chance de concorrer e me reeleger não considero que trarei prejuízos até porque não pautei meus atos pensando em reeleição. Acho que se todos os administradores públicos não se preocupassem tanto com reeleição, ela seria até uma boa coisa.

E mais, algumas pessoas chegadas a mim usam deste e de outros argumentos para que eu mude de posição, de atitude e até mesmo de opinião, me perguntando mais ou menos assim: "O que você ganha com isso?" Mais uma vez a resposta é simples, não estou preocupado em ganhar nada prá mim, estou preocupado somente em tentar sempre fazer o que julgo correto e justo. E não adianta tentar me intimidar com estas colocações porque elas não me assustam. Se eu tiver que ser eleito para algum cargo tudo bem, se não tiver que ser tudo bem também.

Uma outra pessoa me disse o seguinte: "Você não tem o DIREITO de dizer o que disse. Você não pode julgar a atitude dos outros. Você foi ofensivo, grosseiro e indelicado."

Prendendo-me primeiramente ao grifo, acho que esta pessoa não conhece nossa Constituição. Transcrevo abaixo o que ela diz para demonstrar que meu DIREITO como vereador está insculpido na Carta Magna com clareza e precisão. Senão vejamos:

"Art. 29. O Município reger-se-á por lei orgânica, votada em dois
turnos, com o interstício mínimo de dez dias, e aprovada por dois
terços dos membros da Câmara Municipal, que a promulgará, atendidos
os princípios estabelecidos nesta Constituição, na Constituição
do respectivo Estado e os seguintes preceitos:

VIII - inviolabilidade dos Vereadores por suas opiniões, palavras
e votos no exercício do mandato e na circunscrição do Município;"
Ressalto que este preceito está reforçado no Artigo 87 de nossa Lei Orgânica.
Continuando a analisar o que disse o segundo interlocutor, segundo ele, mesmo que equivocadamente, eu não tenho o DIREITO de julgar a atitude de ninguém e nem dos vereadores em plenário. Engraçado não!? Eu não tenho o DIREITO de julgar nem os vereadores nem ninguém, mas este interlocutor tem. Ou seja, ele se julga acima da Lei (lei dele é claro), eu não tenho o DIREITO de julgar ninguém, mas ele tem o direito de julgar meu ato ou minha atitude. Este sim eu considero um gesto preocupante. Uma pessoa que se acha no DIREITO de julgar os meus atos e tenta de forma autoritária impedir que eu exponha meu pensamento com relação à atitude de outras pessoas. Esse interlocutor é verdadeiramente o DONO DA RAZÃO.
No mais repito o que já disse outras vezes. O que eu disse sobre falta de coragem e compromisso eu mantenho, e reforço que não tive a intenção de ofender nem magoar ninguém, foi um simples ponto de vista sobre uma atitude tomada. Faltar coragem não é a mesma coisa que ser um covarde. Eu, por exemplo, não tenho coragem de ir ao Maracanã num dia de Botafogo x Flamengo e não me acho um covarde por causa disso.
No mais, espero que todos repensem suas atitudes, afinal de contas sou um representante eleito da comunidade e se não puder me manifestar sobre o que penso, o que acho e o que julgo (no sentido de avaliar atitudes como fiz), peço meu boné e vou prá casa. Milito há mais de 20 anos num partido onde as pessoas podem se manifestar livremente e onde aprendi que a opinião do outro deve ser respeitada. Tem uma frase que eu gosto mundo que diz o seguinte: "Não concordo com o que dizes, mas defenderei até a morte teu direito de dizê-lo" - Evelyn Beatrice Hall.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Marola ou maremoto.

O meu texto no jornal da Câmara provocou um maremoto na reunião das comissões da última segunda-feira. Apesar de, lógico que no meu entendimento, ter criado uma pequena "marolinha", por causa de interesses políticos, neste caso justificados, esta pequena onda transformou-se numa tsunami devido à ajuda externa de alguns colegas.

Explico:

Escrevi no jornal que entendo que o voto dos vereadores em plenário é político, ou seja, eles deveriam votar seguindo sua consciência e a vontade da população que o elegeu, e não pensando única e exclusivamente na questão legal, até porque quem somos nós para dizer se este ou aquele instrumento é ilegal ou inconstitucional ou não. Cito sempre como exemplo a Lei Antifumo, que a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara de Bicas julgou ser constitucional e legal, porém, o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro entendeu diferente e os desembargadores por unanimidade consideraram a lei inconstitucional. Em contrapartida o Tribunal de Justiça de São Paulo derrubou liminar que impedia a execução da lei em São Paulo.

Dou este exemplo para justificar que no meu entendimento temos que votar pensando sempre no que é bom ou ruim prá população, independente de nossas posições como membros das comissões. Prá ficar mais claro: nada impede que um vereador enquanto membro de comissão assine um parecer que considera uma lei ilegal ou inconstitucional e no plenário vote politicamente para derrubar este mesmo parecer, principalmente considerando o interesse da população, que deve sempre estar acima de tudo.

Dito isto, esclareço que cada um dos vereadores tem que assumir o ônus político pelas decisões que ele toma em plenário. O que eu disse na matéria é que faltou coragem e compromisso dos vereadores com a população e é exatamente isso que eu acho. A situação é muito fácil de ser analisada. Apresentei um Projeto de Lei que pretendia que os prefeitos de Bicas, o atual e os futuros, fossem obrigados a dar publicidade total às listas de espera dos serviços públicos. Por exemplo, se você precisar de um serviço de fisioterapia domiciliar, oferecido pela Secretaria de Assistência Social para deficientes, você faria a marcação e solicitaria cópia da lista de espera para saber em quanto tempo seria atendido e quem está à sua frente na fila. Simples assim. Mas o que aconteceu foi que a Comissão de Justiça deu um parecer contrário ao Projeto e na votação no plenário bastava que os vereadores, se tivessem a coragem para derrubá-lo votassem contra ele. Quer dizer, se os veredores achassem o projeto bom para a população, deveriam votar a favor da continuidade da tramitação do projeto derrubando o parecer. Mas não, eles votaram a favor do parecer e arquivaram o projeto. A partir deste momento devem assumir que votaram contra o projeto de lei que pretendia favorecer a população, ponto final.

Agora estou sendo acusado de jogar os vereadores contra a população porque coloquei isso na matéria. Ora, quem votou contra foram eles, não eu. O Vereador Fernando Joca teve a coragem e o compromisso com seu mandato e com a população e votou favorável ao projeto e contra o parecer, parecer este que ele mesmo assinou como membro da Comissão de Finanças. Porque os outros vereadores não podiam fazer o mesmo? Então eu digo o seguinte, assumam o ônus político de suas decisões, assim como eu assumi até agora todos os ônus das minhas decisões, posições e opiniões.

Pior que isso são alguns vereadores quererem se aproveitar da situação para discutir a sucessão da Mesa Diretora. Jogar os vereadores da situação uns contra os outros incentivando a discórdia, transformando uma pequena marola em uma tsunami, fazendo tempestade num copo d'agua. Alguns disseram inclusive que vão deixar as comissões porque o trabalho deles estaria sendo questionado. Isso é uma questão de oportunidade. Em nenhum momento contestei a posição técnica das comissões, apesar de ter discordado delas. Não faço parte das comissões e respeito seus pareceres, porém, quando não concordo com o parecer, me é garantido o direito de ser contra ele.

Sinceramente não me importo se as pessoas ficam com raiva por causa de eu expor meus pensamentos. Não vou deixar de fazê-lo. Vivemos numa democracia e por isso posso livremente dizer o que eu acho. Não tive o intuito de ofender ninguém, e diga-se de passagem não falei nenhuma mentira. Logico que fiz juízo de valor das decisões do plenário e seus vereadores, esta foi minha interpretação, se alguém acha diferente pode criticar e dizer, estou aberto ao diálogo sempre.

Abraços.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Homens e mulheres de bem.

Olá pessoal.

Estou aqui hoje para convidá-los a fazer parte de um partido verdadeiramente democrático. O Partido dos Trabalhadores de Bicas.

Ao longo da nossa história batalhamos incansavelmente para que o melhor prá Bicas e prá nós mesmos acontecesse. Erramos algumas vezes, como quando ajudamos a eleger o maior pilantra que esta terra conheceu (Dr. Barreto), e acertamos outras, como agora quando ajudamos a eleger e reeleger o Prefeito Honório.

Todas estas vezes o PT decidiu o que fazer democraticamente, ouvindo suas bases e com seus dirigentes escolhendo o melhor caminho sem imposição alguma. No futuro não pode e não vai ser diferente. A arte de ser democrático é muito difícil de ser assimilada. Às vezes acusamos pessoas de serem autoritárias por tentarem dar ordem e dinamismo a processos aparentemente simples. Às vezes não percebemos que o simples fato de pular do barco mostra abertamente nosso lado pouco democrático, nosso lado que não se conforma em ser minoria. Liderança se constrói, se conquista e nunca se impõe.

Pensando nisso e visando o fortalecimento do PT/Bicas para as eleições municipais de 2012, estou começando aqui uma campanha de filiação. Quem desejar se filiar ao PT deve enviar e-mail para o endereço eletrônico aloysiobb@hotmail.com com os seguintes dados: nome, endereço, nº. do título e seção que vota, data de nascimento, CPF, e-mail pessoal e telefones de contato. Se preferir entre em contato comigo pelo telefone, 3271-2940 ou 9977-9325.

Em breve vamos começar a traçar os objetivos e estratégias para que finalmente o PT de Bicas tenha um nome forte à sucessão do Prefeito Honório. Estivemos ao seu lado e nossa participação foi decisiva em todos os momentos, tanto nas disputas eleitorais quanto para o sucesso de seus governos. Falo há algum tempo para quem quiser escutar, mesmo durante o processo eleitoral de 2008. O Prefeito Honório é o melhor Prefeito que esta cidade teve nos últimos 30 anos sem dúvida alguma e nós fizemos parte desta história. Mas sei também que ele não é o melhor que Bicas poderia ter. Bicas merecia mais. Uma pessoa mais ousada no comando, uma equipe que planejasse melhor o município, uma equipe que executasse melhor todos os recursos trazidos, uma equipe mais comprometida com o Governo Municipal, ou seja, uma equipe melhor com um comando melhor.

Precisamos começar a construir isso. Como? Juntando os homens e mulheres de bem. Todas as pessoas que se dispuserem a discutir Bicas sem pensar em tirar proveito pessoal, mas pensando legitimamente numa cidade que lhe ofereça e nos ofereça melhores condições para se viver. Quem quer ter uma escola pública realmente de qualidade, para que seu filho possa nela estudar sem que tenha receio de não estar lhe oferecendo o melhor, tem um sentimento legítimo do qual não podemos abrir mão. Eu querer ter acesso integral à saúde, independente de minhas condições financeiras, assim como todo e qualquer cidadão, e como está garantido na constituição é igualmente legítimo, e devemos e temos o compromisso de garantir este acesso. Só pessoas de bem, desprovidas de vaidades e de egoísmos, podem pensar uma cidade melhor para se viver em todos os sentidos, para todos os cidadãos que nela vivem.

Vou contar um caso, acontecido em 2007, mais ou menos um ano antes das eleições municipais de 2008. Estávamos no Chora Morena, numa tarde de sábado entre amigos, conversando e tomando uma cerveja. Entre os presentes posso citar o meu pai, Lúcio, o Nilton Santos, o Watencir (dono), meu irmão Luciano, meu amigo de infância Dedé, o Fernando do Tão Gorjeta e outros que não me recordo bem. Começou um assunto político e um dos presentes disse o seguinte: "Vamos falar de outra coisa. Detesto isso. Não preciso disso prá nada. A gente só ouve falar em sacanagem na política." A resposta veio natural, da ponta da língua. "Esse é o motivo de ouvirmos só sacanagem na política. Reunimos pessoas de bem, como aqui nesta mesa, pessoas honestas e de boa família e conduta social. E elas não se interessam, não participam, não se envolvem com a política. Resultado: fica aberto o espaço para que os pilantras se aproveitem."

É por isso que digo a vocês homens e mulheres de bem, participem, procurem se informar sobre os acontecimentos políticos, filiem-se ao PT de Bicas, as portas estão abertas.

PT para todos!!!

Um abraço.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Sacolas banidas.

Mesmo que ainda demore um tempo, as sacolas plásticas já têm data para parar de circular no município de Bicas, a não ser que aconteça um desastre sem explicações de hoje até a próxima terça-feira 13 de outubro, é o dia 1º de novembro de 2012.

Considero esta uma vitória mais do que pessoal, é uma vitória da população de Bicas. Até a realização da pesquisa de opinião pública, que mostrou que 71% da população era favorável à proibição das sacolas, avalio que a disputa era extremamente acirrada pendendo mais em alguns momentos em favor das poucas pessoas que eram contrárias ao projeto.

Para isso basta ver uma das emendas apresentadas e aprovadas ao Projeto de Lei nº 04/2009, que em seu texto original, apresentado dia 03 de março deste ano, previa a proibição da distribuição de sacolas a partir de 01 de janeiro de 2010. Esta emenda aprovada retardou a proibição para 1º de novembro de 2012, isso mesmo, só daqui a três anos. A alegação dos vereadores que apresentaram e defenderam esta emenda (Rafael, Fernando, Patinho, Robson e Moisés), é que o comércio e o Poder Executivo precisariam de tempo para se adequar à nova legislação. Concordo plenamente, tanto que eu mesmo apresentei uma emenda passando a data de início de vigência para 01 de janeiro de 2011, ou seja, dando aos interessados 14 meses para se adequarem. Vamos ser sinceros, 14 meses é tempo mais do que suficiente para que os comerciantes se adequem. Infelizmente minha emenda foi derrubada e a dos vereadores Rafael Aquino e Fernando Joca foi aprovada, portanto, só no longínquo mês de novembro de 2012 a lei entra em vigor prá valer.

O Paulinho Bertelli me disse durante as discussões sobre este projeto, salvo engano, que o Santo Antônio - Supermais gasta 20.000 sacolas plásticas por mês. Fazendo um cálculo grosseiro de que os outros comércios juntos gastem três vezes mais que isso chegamos ao montante de 80.000 sacolas/mês em Bicas. Sabendo que ninguém vai tomar uma atitude efetiva até pelo menos até maio de 2012, seis meses antes do prazo fatal, afinal brasileiro deixa tudo prá última hora, somente nossa cidade terá descartado 2 milhões e 880 mil sacolas no meio ambiente até lá.

Outro fator que me preocupa, é uma das maiores falhas do atual Governo, a não fiscalização. O Governo Honório não fiscaliza nada, somente quando é forçado pelo Ministério Público a fazê-lo ou quando existe denúncia formal. Acho que se a lei fosse entrar em vigor ainda em 2011, dentro do seu e do nosso mandato, poderíamos fazer um trabalho de cobrança para que a lei fosse cumprida. Como novembro de 2012 vai ser final de mandato do atual Prefeito, e também de nós vereadores, creio que abrimos um precedente perigoso para que o Executivo não mexa nenhuma palha até lá, afinal de contas em janeiro de 2013 o Prefeito deixa o cargo.

De qualquer forma parabéns aos vereadores que pelo menos se sensibilizaram com a necessidade de tomar alguma atitude. E também por Bicas ser provavelmente, a primeira cidade do país a tomar uma medida tão contundente em relação à utilização de sacolas plásticas. Façamos a divulgação disso para todas as pessoas das cidades vizinhas e do Brasil todo, temos que difundir a idéia e esperar que outras cidades ajam como nós.

Obs.: tomara que nenhum vereador mude de idéia até a próxima sessão.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Alegrias e decepções.

Este título tem tudo a ver com meu sentimento nestas últimas duas semanas.

Depois que li o post do Marcelo Barreto, que declarou que tem acompanhado de longe os boletins eletrônicos e agora o blog, me senti um pouco recompensado pelo árduo trabalho que tenho feito na Câmara de Vereadores.

É dificílimo, e a maioria das pessoas não têm a noção do quanto, mudar hábitos e costumes numa casa onde cheguei agora. Tentar fazer com que as coisas funcionem como deveriam funcionar.

Na maioria das vezes sinto-me totalmente sozinho nesta batalha. Sinto que sou um peixe fora d'agua. Penso que ao invés de ajudar estou dificultando as coisas. São tantas coisas erradas, e não daremos conta de resolver tudo, ou dificilmente daremos, que a vontade é fazer como todos fizeram até então, tocar de qualquer forma, do jeito que der...

Hoje fiquei sabendo que alguns vereadores receberam cartas anônimas, pedindo para que eles não votem contra os taxistas de Bicas. Que diversas famílias votaram neles e esperam que eles se solidarizem com eles, etc, etc, etc....

Acho que só eu não recebi. Eu sou o verdadeiro carrasco. Por quê? Porque quero tentar deixar as coisas certas, justas, como deveriam ser e nunca ninguém se preocupou com isso. Porque sonho ou sou utópico, quando penso numa comunidade mais igualitária.

Digo isso porque até mesmo dentro de casa, e não vou citar quem me falou porque foi dito numa conversa particular, dizem que devo deixar alguns assuntos de lado para me preservar politicamente. Que não devo tocar neste ou naquele tema porque estou criando inimizades ou cultivando inimigos. Que "se ninguém compra esta briga porque eu devo comprar", entre outras cobranças.

Em dados momentos penso até em abandonar o mandato por não me sentir apoiado nem mesmo pelas pessoas que mais amo e prezo. Realmente é muito difícil. Mas não vou abandonar o barco.

Me convenci de que podia fazer um papel importante na Câmara de Bicas nestes quatro anos e vou tentar provar isso. Posso até não ter o reconhecimento esperado na próxima eleição (votos), mas sairei da Câmara com a certeza de que fiz o melhor que pude e que me doei ao máximo para que deixássemos de ser uma "terra de ninguém".

Quero agradecer sua manifestação Marcelo, pois ela me dá um enorme incentivo num momento extremamente delicado. Um momento em que estou pesando minha vida pessoal e minha vida pública. E um elogio seu, uma pessoa que nasceu aqui e que acompanha meu trabalho, me dá uma motivação muito grande para seguir nesta luta. Vamos ver até onde eu aguento o tranco.

Obrigado Marcelo Barreto, meu amigo de fé. Acho que toda esta afinidade contigo está no fato da admiração pelo profissional e pela pessoa incrível que você é. Suas palavras me ajudaram muito.

Um abraço a você e a todos os leitores do blog.

PS: desculpem o desabafo mas hoje os acontecimentos pesaram muito.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Demagogia em excesso.

Desculpe discordar de sua colocação Vereador Moisés (cito aqui seu nome pois isso foi colocado em reunião pública), mas o pedido feito através do requerimento nº 86 foi DEMAGOGIA pura sim.

Nesta segunda-feira o Vereador Moisés, que deve ter seguido a escola do Governador Aécio Neves, se aproveitou de um projeto do Governo Municipal para tentar tirar proveito político próprio. Ele apresentou um requerimento pedindo a implantação de um Programa Bolsa Família Municipal a partir de 2010. Cá prá nós, só para fazer promoção pessoal, todos nós sabemos disso, inclusive ele.

Estivemos na apresentação do Plano Plurianual (PPA) na última terça-feira, feita pelo Governo Honório, que é a apresentação do planejamento do município para os próximos 4 anos (2010/2012). Entre as metas do Governo existe uma planejada para o ano de 2012, o Programa Bolsa Família Municipal. Este projeto já é estudado pelo Governo há mais de três anos, desde quando fui Secretário de Assistência Social, ressalte-se que não é idéia minha e sim do Prefeito Honório, e ainda não foi implantado por falta de recursos.

Eis que de repente o Vereador Moisés, seguindo a melhor linha do Governador Aécio tenta se aproveitar da idéia e alcançar louros com o projeto alheio. Acho isso indelicado e inoportuno. O Vereador, que merece todo nosso respeito, quer tirar proveito de uma ação planejada e traçada como meta pelo Governo Municipal que, diga-se de passagem, ele não ajudou a eleger.

Acho sinceramente que o Vereador foi infeliz em sua ação. O Prefeito Honório ainda não implementou este projeto por falta de recurso e pretende fazê-lo no ano de 2012 se tudo caminhar bem até lá. As dívidas deixadas por outros administradores com o INSS devem estar quitadas até 2011, os precatórios (dividas de ações judiciais acumuladas principalmente em outros governos) devem estar sob controle até final de 2010, as dívidas com a COPASA e CEMIG (que propiciaram a entrada do atual Prefeito em 2005 no escuro e sem água) foram renegociadas pelo Governo atual devem estar quitadas em 2011 também, entre outras heranças malditas que a administração atual recebeu, não permitiram que o programa fosse implementado antes.

Portanto, o planejamento apresentado no PPA está corretíssimo, e é mais uma mostra de transparência e responsabilidade com as contas públicas dada pelo Governo Honório.

O resto é apropriação intelectual indébita.

domingo, 4 de outubro de 2009

Encontro pró Reginaldo Lopes em São João.

Neste domingo estive num encontro em favor da candidatura de Reginaldo Lopes à Presidência Estadual do PT que ocorreu em São João Nepomuceno.

Comigo estiveram a Diretora da FEAP-Bicas, Léa Castro, o Secretário de Assistência Social de Bicas, Maurílio Muniz, o Diretor de Políticas Sociais de Bicas, Almir Lopes, o Secretário de Finanças do PT-Bicas, Altair Lopes, o Diretor de Políticas da Juventude de Bicas, Jaílson Costa, o filiado Renan Ferreira e o jovem Rafael Matioli.

Entre os presentes cito ainda os prefeitos José Xavier (Guarani) e José Maria Sampaio (de São João em exercício), e vereadores de Guarani, Maripá de Minas e Chiador, além de vários representantes de movimentos sociais de São João Nepomuceno e outros municípios.

Demonstrando muita sabedoria e conhecimento da realidade de nosso estado e do PT-Minas, Reginaldo fez uma palestra de pouco mais de uma hora lançando oficialmente sua candidatura à reeleição, pedindo o apoio das lideranças locais ao seu nome e a união dos petistas e simpatizantes em torno de uma candidatura própria ao Governo do Estado no ano que vem e também à candidatura da Ministra Dilma Roussef à Presidência da República.

Reginaldo mais uma vez fez um apelo para que os filiados, simpáticos às candidaturas de Patrus Ananias e Fernando Pimentel, encarem a disputa pelo direito de ser o candidato do PT com serenidade e espírito partidário, não deixando que esta disputa traga prejuízos à unificação do PT em torno do candidato escolhido.

Eu, particularmente, apoio o nome de Fernando Pimentel à disputa do Governo do Estado. Acho que Pimentel é o nome da vez. Reconheço que o companheiro Patrus é um nome que deve ser muito respeitado dentro do PT, quiça reverenciado pelo grande trabalho que fez, tanto na Prefeitura de BH como no Ministério do Desenvolvimento Social. Acho, porém, que o momento do Patrus foi em 2006. Recém saído de uma bela administração em BH e de uma vitória estrondosa nas eleições para Deputado Federal, Patrus já vinha credenciado como o pai do Bolsa Família e era a chance de disputa que o PT tinha contra o então Governador candidato à reeleição Aécio Neves. Ele não quis. Preferiu continuar no Ministério a vir para a disputa representando o PT. Acho que ele perdeu a vez. O momento agora é do Pimentel, que tem uma aprovação absurda de seus dois mandatos à frente da Prefeitura de BH e tem a confiança de muitos filiados do PT mineiro.

Independente do que eu acho, o que eu sei é que o PT nunca teve chance tão boa de eleger o Governador do Estado, seja ele Patrus ou Pimentel. Afirmo que me empenharei como nunca antes fiz para eleger qualquer um dos dois. Tenho certeza que estaremos muito bem representados por ambos.

Temos agora uma responsabilidade enorme com Minas Gerais. Somente o PT pode dar a reviravolta que nosso estado precisa. Tenho a convicção de que desta vez o Palácio da Liberdade será ocupado por alguém que represente os anseios da população menos favorecida e que produza o crescimento esperado pelas pessoas que acreditam e investem em Minas Gerais.

A LUTA CONTINUA COMPANHEIROS !!!

sábado, 3 de outubro de 2009

Isenção de IPTU para funcionários públicos.

Pouca gente sabe mas estamos realizando uma revisão da Lei Orgânica Municipal. Já passamos da metade e a previsão é de que encerremos os trabalhos até final de outubro.

Alguns pontos polêmicos têm ficado para serem discutidos em plenário ou em audiência pública. Entre eles a isenção de IPTU para os funcionários públicos municipais.

Eu particularmente sou contrário a este tipo de benefício. Nada contra os funcionários mas temos que analisar o caso com a visão de quem paga impostos. A carga tributária do país é imensa e a classe mais prejudicada é a média assalariada, que não tem como fugir de impostos. Paga IR altíssimo (27,5% na fonte), IPTU, IPVA, taxas e ainda paga como todo mundo imposto embutido em cada uma das compras que faz.

Pensando assim, porque os funcionários públicos que já são pagos com o dinheiro arrecadado dos impostos pagos pela sociedade, têm que ter o privilégio de não pagar impostos municipais? Isso é justo?

O problema é que mais uma vez estou ficando isolado na Câmara porque os outros vereadores têm receio da repercussão politica de se acabar com este benefício descabido. Um dos vereadores chegou a dizer o seguinte numa de nossas reuniões: "Ele tá certo. O Loro tá certo, realmente é um benefício que não tem justificativa. Mas não podemos fazer isso porque é um suicídio político."

Já disse numa matéria no Boletim Eletrônico 20 e repito aqui; falta coragem para alguns dos vereadores, alguns só pensam em fazer agrados e galgar postos políticos maiores e não estão preocupados e empenhados em tornar nossa vida em sociedade mais justa e igualitária.

Fiquem de olho. Quando ocorrer a audiência pública para discutir estas questões vou divulgar o máximo possível. Espero ter uma resposta positiva da sociedade e um comparecimento expressivo das pessoas que pensam como eu.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Acorda galera!!!

Prestem atenção no que está para acontecer na Câmara de Bicas. Fizemos uma pesquisa de opinião pública que mostrou que metade da nossa população apoia o projeto de lei que eu apresentei para acabar com os carros de som. Infelizmente, como todos os outros vereadores demonstraram ser contrários ao projeto, solicitei a retirada do mesmo.

Agora estão querendo fazer uma nova lei que vai piorar mais ainda a situação. Além de permitir que empresas devidamente autorizadas infernizem a vida de quem é contrário a este tipo de propaganda, os vereadores querem autorizar também a todos os comerciantes a fazerem o mesmo tipo de propaganda, ou seja, além dos tradicionais veículos que enchem nossa paciência poderemos ter em breve mais outros tantos nos incomodando.

É por isso que eu peço que todos acessem a página da Câmara, clique na palavra VEREADORES na guia vermelha superior, depois clique na foto dos vereadores e deixe sua mensagem para cada um deles. Metade da população é contra o que acontece hoje, portanto, manifestem-se rápido e contundentemente, senão o que já está ruim pode piorar.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Bem vindos!!!

Olá amigos.
Está será mais uma ferramenta de interação entre o mandato e a sociedade. Espero que possamos trocar muitas idéias e opiniões e também, acima de tudo, que consigamos, sempre que possível, chegar a um consenso sobre todo e qualquer assunto ou discussão que seja aqui colocado.
Desde janeiro, quando assumi a cadeira que me foi confiada na Câmara, venho tentando formas de manter um contato estreito com os moradores de Bicas. Seja através de e-mail (com o Boletim Eletrônico), através do Orkut (com a Comunidade Vereador Loro) e agora com o blog Vereador Loro, a intenção é somente uma, ouvir o que nossa comunidade pensa sobre a mais variada gama de assuntos que são discutidos na Câmara Municipal de Bicas.
Durante os próximos meses, e anos quem sabe(?), estarei aqui contando o que se passa no legislativo, logicamente que sob minha ótica, e espero que democraticamente e acima de tudo civilizadamente, possamos discutir nossos pontos de vista respeitando uns aos outros, nossas diferentes opiniões e convicções, buscando sempre o entendimento.
Cumprimento de antemão a todos vocês que aqui se manifestarem, porque este espaço pretende ser aberto a todas as pessoas que queiram construir uma sociedade justa e fraterna.
Abraço a todos.