quarta-feira, 13 de junho de 2012

A "imprensa" biquense


Caros amigos, seguidores e leitores, hoje vou abordar um assunto delicado e explosivo ao mesmo tempo, a liberdade de imprensa. Sou totalmente favorável a esta prática, pois não haveria estado democrático de direito sem liberdade de imprensa. Seria necessário, porém, que todas as vezes que a imprensa fosse usada de forma vil e com má fé, o responsável fosse punido.

Quero explicar alguns fatos recentes ocorridos na Câmara e que levaram o “jornalista” biquense, Deusdet Rodrigues, a tentar induzir as pessoas a formarem um mau juízo de valor a meu respeito.

Inicialmente é preciso destacar, que ele ignora recorrentemente um dos princípios básicos do jornalismo, que é o de ouvir as duas versões de uma mesma notícia antes de publica-la, logicamente sem “tomar partido” de “A” ou “B”, procurando simplesmente informar aos seus leitores ou ouvintes.

Usando de má fé, este “jornalista” disse em seu programa de rádio, exibido no dia 12 de junho, e escreveu em seu blog que eu teria votado contra repasses da Prefeitura a entidades de assistência social e ao Hospital São José, com a clara intenção de jogar as pessoas que se sensibilizam com as causas sociais contra mim.

Votei sim contra três projetos de lei do Executivo, nunca negaria isso, mas não com a intenção de negar ajuda a esta ou aquela entidade, na verdade votei contra o pedido de suplementação ao orçamento feito pelo Executivo. Quer dizer, eles pediram autorização à Câmara para aumentar o valor destinado no Orçamento 2012 para a Banda São José, para o Sítio Shalon e para o Hospital São José, só que eles já têm autorização, através da Lei Municipal nº. 1.575/2011, de suplementar o Orçamento em 25% (vinte e cinco por cento) neste ano, ou seja, podem aumentar o valor de qualquer uma destas entidades em até R$ 5.747.885,75 (cinco milhões, setecentos e quarenta e sete mil, oitocentos e oitenta e cinco reais e setenta e cinco centavos), conforme ofício nº. 53/2012 acima. Então, na verdade, votei contra a autorização para que o Governo suplementasse o orçamento, já que tinha lastro mais que suficiente para realizar este intento, e não contra as entidades citadas na matéria.

Aproveito para explicitar os pedidos de suplementação. O que se refere ao Sítio Shalon, diz respeito a uma condenação judicial, ou seja, o aumento de repasse em questão não é por obra do “espírito caridoso” do Prefeito Honório ou por uma ação positiva do Executivo, como pretende insinuar o “jornalista”, e sim por obra do Ministério Público, que através de uma Ação Civil obrigou a Prefeitura a aumentar seu repasse a esta entidade. Sobre a Banda São José é um pedido para aquisição de uniformes, que se fosse suplementado através de Decreto, cuja autorização o Prefeito possui, já teria sido feito o repasse há mais de um mês.

Já com relação ao Hospital São José, que agora este “jornalista” trás à baila, meu voto contrário foi dado no ano passado, na votação do Orçamento 2012. Naquela oportunidade, os vereadores de oposição apresentaram emenda ao Orçamento, aumentando as dotações destinadas ao HSJ. Nota-se, portanto, quando ele insinua que passei a votar sistematicamente contra o Governo, em mais uma tentativa de ligar meus posicionamentos na Câmara com a minha posição política em relação ao processo eleitoral que se aproxima. Votei contra o aumento de recursos para o hospital, porque não acredito que o seu problema seja de dinheiro e sim de gestão. Na semana passada só ratifiquei meu voto.

Como exemplo de má gestão no HSJ, posso citar o ocorrido no ano passado, quando foi contratado um funcionário com salários de quase mil reais por mês a pedido do Prefeito, segundo o próprio Provedor da entidade em declaração lavrada em ata de reunião do conselho da instituição, e que ainda teria dito que se ele não contratasse ou demitisse o tal servidor, as verbas de repasse para o hospital seriam cortadas ou diminuídas. Ou ainda citar o caso do Diretor Administrativo do HSJ, que começou a trabalhar lá em 2010, salvo engano, recebendo salário no patamar da Secretária de Saúde da nossa cidade e hoje ganha mais que o dobro. Estes são alguns dos motivos que me levaram a votar contra o aumento de repasse de recursos ao HSJ, pois avalio que colocar mais dinheiro lá é “salgar carne podre”.

Aí vem uma pessoa mal intencionada, mandada por alguém e distorce os fatos, dando a notícia do modo que convém a ele e aos seus comparsas, para tentar denegrir minha imagem. É lamentável que esta pessoa use meios de comunicação, aos quais tem acesso por ser proprietário ou associado, para divulgar notícias tendenciosas e mentirosas. É este tipo de “liberdade de imprensa” que acho que deveria ser punida com severidade. A mídia é o quarto poder do regime democrático e não pode ser utilizada de forma leviana, como faz este “jornalista”.


segunda-feira, 4 de junho de 2012

Estrutura administrativa







Caros amigos, seguidores e leitores, trago ao conhecimento de vocês hoje o quadro de cargos comissionados da atual Administração Municipal, para que todos tenham conhecimento da função desempenhada, ou que deveria ser desempenhada por cada um deles.

Não vou tecer comentários sobre esta questão, até porque não estou trabalhando na Administração e, por este motivo, não posso avaliar o desempenho deles em suas funções. Faço a divulgação para que os leitores e os demais servidores efetivos tenham conhecimento da distribuição de cargos comissionados. Assim vocês podem avaliar se esta distribuição é justa e correta.