sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Vontade do povo prevaleceu.


Caros amigos, seguidores, leitores e eleitores, assentada a poeira, gostaria de fazer uma análise do processo eleitoral deste ano. Inicialmente quero agradecer aos que em mim confiaram seus votos e, principalmente, nos que acreditaram que a dupla Magela/Léa seria a melhor opção para governar nossa cidade.

Qualquer eleição é composta de vários fatores que no final levam ao triunfo. Nossa campanha surpreendeu muita gente. Uma campanha educada, limpa, modesta e, acima de tudo, apaixonante. Peço desculpas por não conseguir segurar o ímpeto de alguns, que mesmo diante de nossos apelos para evitar provocações o fizeram de forma isolada.

Quebramos diversos “tabus” que prosperavam em nosso meio político. Uns disseram que perderíamos porque não tínhamos dinheiro suficiente para vencer. Realmente não tivemos muitos recursos, mas provamos que não é dinheiro que resolve uma eleição, aliás, o candidato que diziam ter milhões para gastar obteve apenas 22% dos votos. Outros diziam antes do pleito que nós não suportaríamos a pressão. Digo que não só suportamos como agimos com honestidade, serenidade e responsabilidade. Pessoas discutindo tamanho de carreatas. Perda de tempo. O que importa mesmo é a adesão voluntária e o acreditar no que se está fazendo. Bandeiras por todo lado impregnando a paisagem, como se isso se revertesse em votos. Uma única chapa de vereadores, com apenas 18 candidatos (ou 17, não é?), diferente da teoria de que lançar um monte de candidatos com baixa qualidade significasse ser mais forte.

Eleições são vencidas por candidatos com credibilidade junto à população e não por candidatos inventados ou desacreditados.

O grande derrotado desta eleição foi o atual Prefeito Municipal, Honório de Oliveira, que, mordido pela “mosca azul”, achava que poderia eleger qualquer pessoa. Ledo engano, a época dos coronéis chegou ao fim, ninguém empurra goela abaixo do eleitor qualquer candidato, pode fazê-lo dentro de um grupo acovardado, pressionado por causa de cargos e empregos, mas não do eleitor.

Honório tinha tudo para sair de seus dois mandatos fazendo o seu sucessor. Com um Governo bem avaliado depois de quase 8 anos resolveu apostar na sua soberba e de alguns poucos de seus correligionários mais próximos. Enganou-se profundamente em sua primeira escolha, teve a chance de corrigir o erro, mas errou outra vez. Por isso as urnas foram implacáveis com ele.

Vocês que me acompanham aqui neste espaço sabem bem tudo o que aconteceu. Se o combinado tivesse sido seguido, tenho a convicção de que a Prefeita desta cidade hoje seria a Professora Léa. Infelizmente, por não seguir acordos, Honório saiu derrotado e, porque não, humilhado. Estava se achando a maior mente politica da cidade e nós mostramos para ele a verdade. Na democracia é a vontade do povo que deve prevalecer e não a vontade de alguns.

Estou radiante por ter podido mostrar para algumas pessoas que eu tinha razão. Liderança não se impõe, liderança se conquista.

Sei da campanha brutal que foi feita contra mim e os recados que me foram enviados. Um deles o de que eu jamais seria reeleito e que nós seríamos medalha de bronze. A resposta veio como deveria vir. Nas urnas. Medalha de ouro para a candidatura Magela/Léa e minha reeleição, mesmo que apertada, mas com gosto de consagração.

Desculpem se fui um pouco arrogante, não era essa minha intenção, mas algumas coisas estavam agarradas na minha garganta havia algum tempo.

Mais uma vez, obrigado a todos.