sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Depois da tempestade...

Caros amigos, seguidores e leitores. Primeiramente queria me desculpar pela longa ausência, muitas coisas vêm acontecendo e, apesar de assuntos não faltarem para serem abordados, o tempo foi escasso para parar e concentrar num texto.

Porém, aproveitando a passagem do evento maior do Município, a felicidade com alguns resultados obtidos me fez escrever este com naturalidade e desprendimento.

Todos se recordam das críticas feitas por mim aos gastos com Carnaval e Exposição. Depois de tanto insistir com os gestores sobre a necessidade de repensar os eventos, decidi agir unilateralmente e, com o apoio dos demais vereadores que entenderam minha motivação, apresentei duas emendas ao Orçamento 2015, reduzindo os recursos disponíveis para os dois eventos deste ano. Aproveitei também para proibir a suplementação do Orçamento nas dotações referentes aos eventos sem autorização da Câmara, ou seja, para gastar mais do que previa o orçamento nós vereadores deveríamos aprovar.

Resultado da intervenção: a Prefeitura de Bicas gastou praticamente a metade do que gastou em 2014 com os dois eventos e alcançou, pelo menos em minha opinião, o mesmo resultado dos anos anteriores. Veja abaixo um pequeno balanço dos gastos com os eventos ano a ano e um quadro comparativo do Orçamento.



Não que eu esteja plenamente satisfeito com os resultados. Mas algumas sugestões dadas por mim em textos anteriormente aqui postados, e implementadas pela gestão quase que obrigatoriamente, deram resultado, principalmente em relação à Exposição. Críticas ainda podem ser feitas? Sim, claro que podem.

Sobre o Carnaval, ainda em fevereiro no texto “E o Carnaval, hein!?”,  apresentei algumas contas estimadas sobre os gastos. Lá disse que a Prefeitura teria economizado R$ 115 mil no evento. Errado! Segundo o que pudemos apurar, a economia foi de cerca de R$ 176 mil, isso considerando o valor colocado no Orçamento enviado à Câmara em agosto de 2014.

Já a Exposição, da qual ainda não temos os dados oficiais, podemos dizer o seguinte. No Orçamento original enviado pelo Poder Executivo, o montante destinado à Exposição seria de R$ 335 mil, através de uma emenda retirei R$ 85 mil de recursos do evento destinando a outras áreas como Saúde, Educação e Assistência Social. Mesmo sobrando ainda R$ 250 mil, pelo que pudemos apurar até o momento, o montante gasto girou em torno de R$ 250 mil, ou seja, exatamente o valor deixado por minha emenda, mas se compararmos com 2014, onde foram feitas diversas suplementações, a economia chegou a R$ 220 mil.

E poderia ter gasto menos ainda. O rodeio, por exemplo, custou a bagatela de R$ 95 mil. Três dias de rodeio por R$ 95 mil. Em Pequeri, na Exposição do ano passado, foram quatro dias a R$ 65 mil. Podemos concluir então que poderia ter havido uma economia de mais R$ 46 mil aproximadamente, isso se considerarmos a relação preço/dia.

Tudo isso colocado, quero externar minha felicidade por ter demonstrado a fórceps que é possível fazer bem gastando pouco.


Antes de terminar preciso parabenizar os colaboradores Jane Galil e J.R. Perenciolo, que foram os únicos responsáveis pela realização do Torneio Leiteiro e da exposição de gados e cavalos, mesmo sendo estes eventos os que deveriam ser mais valorizados na Exposição AGROPECUÁRIA.